Entrevista de Nelson Piquet à Mariana Becker (22/04/2020)

Adicionado a 2 de julho de 2020 por: Valewson.

Assista a excelente e descontraída entrevista que Nelson Piquet cedeu à jornalista Mariana Becker. A conversa aborda a carreira do tricampeão, várias curiosidades e comentários a respeito de outros pilotos, incluindo Mansell e Senna.

Assista a excelente e descontraída entrevista que Nelson Piquet cedeu à jornalista Mariana Becker.

A conversa abordou a carreira automobilística e outros aspectos profissionais do nosso tricampeão de Fórmula 1, várias curiosidades e comentários a respeito de outros pilotos, incluindo Nigel Mansell e Ayrton Senna.

A entrevista foi transmitida originalmente no Instagram, a 22 de abril de 2020, e, entre os tópicos, estão as bordoadas que o Piquet deu no Eliseo Salazar no meio da GP da Alemanha de 1982 e o que ele pensa disso.

Tem também o nível de conhecimento a respeito de automobilismo que ele afirma que Galvão Bueno teria, as zueiras dos bastidores (incluindo as trolladas no Mansell) e a sua empreitada no ramo de tecnologia, da qual ele se mostra bastante orgulhoso.

Senna

Sobre Senna, a relação nem sempre foi amistosa, como sabemos. Um dos exemplos citados no vídeo foi a ocasião em que Piquet assinou um contrato com Bernie Ecclestone (então chefe da Brabham) usando o nome do outro brasileiro:

No meu primeiro contrato, ele [Ecclestone] falou pra mim ‘Quer correr?’ Falei ‘quero’. ‘Pode ser por 3 anos?’ ‘Quero’. Depois que assinei, ele falou ‘não quer saber quanto vai ganhar? Eu vou te pagar US$ 50 mil por ano mais 30% da premiação’. Esse contrato eu nunca vi”, disse Piquet, que complementou afirmando que “três anos depois, ele queria por que queria que eu assinasse com ele. Eu falei ‘eu nunca tive contrato, não adianta porque você não vai me dar o contrato’. Aí, eu assinei o contrato com outro nome [do Ayrton Senna], ele nem leu e levou o contrato assinado”.

Mas Piquet não deixou de ressaltar que o outro tricampeão brasileiro da categoria era talentoso, mesmo salientando que ele tinha problemas para acertar os carros e “tinha que ter um parceiro bom pra acertar o carro pra ele. Na Williams ele estava sozinho, estava desesperado, perdeu as duas primeiras corridas e estava desesperado”, afirmou.

O tricampeão também fala do evento que significou a morte do automobilismo pra ele: em 1º de maio de 1987, Nelson Piquet, a bordo da Williams, sofreu talvez o acidente mais grave de toda a sua carreira na curva Tamburello, a mesma onde morreu o Senna, durante os treinos livres para o GP de San Marino.

Nigel Mansell

Piquet também relembrou os esculachos que ele aprontou com o Leão, um grande rival nas pistas e companheiros de equipe na Williams por uns tempos. Ele contou as porcarias que ele fazia com o chá do inglês e a confusão que ele aprontou quando ele veio para o Brasil para gravar o comercial do Focus, o carro da Ford.

Embora Piquet tenha chamado Mansell de “idiota” a certa altura da entrevista, não negou que o Leão era também talentoso.

O escândalo envolvendo Nelsinho

Piquet também mencionou o escândalo onde envolveu envolveu seu filho, Nelson Piquet Jr., em 2008. Nelsinho, pilotando pela Renault, sofreu um acidente no GP de Singapura, o que acabou beneficiando seu então companheiro de equipe, Fernando Alonso. Eventualmente descobriram que o suposto acidente foi causado de propósito, a pedido de Flávio Briatore, quem à época, era o chefe de equipe da Renault.

Com isso, Nelsinho acabou queimando o filme gravemente, mas Briatore, a quem o tricampeão se refere como “bandido” se deu mais mal ainda, pois foi banido da Fórmula 1 para sempre.

Sobre a entrevista

A entrevista faz parte de um projeto pessoal da jornalista, que vem usando a própria conta no Instagram para conversar com grandes nomes da Fórmula 1, e pretendemos adicionar mais entrevistas dela aqui, no + VaLeW +.

Mais Nelson Piquet

Visão geral

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x